sexta-feira, 12 de junho de 2009

MAIS UMA VEZ NA CALADA DA NOITE

A Santa Casa de Campo Grande é vítima de interesses inconfessáveis de políticos que atuam junto a membros do Ministério Público e junto ao Juízes para se manterem na administração de um Hospital privado, de uma Instituição Filantrópica que teve a competência de erguer o maior Hospital do Centro-Oeste do Brasil e mesmo assim é acusada de ineficiência e que agora o vê depauperado pela má gestão pública.

Mais uma vez, na última hora do dia 10 de junho de 2009, véspera de feriado prolongado, (a liminar inicial também foi despachada na ultima hora do dia que antecedeu ao recesso forense) atendendo a essas pressões desmedidas, sob argumentos que não resistem a lógica, de forma ilegal, um Juiz de Direito, após sentença de mérito prolatada por outro Juiz que se encontra afastado por motivos de doença pessoal, inovou a sentença, fazendo letra morta a decisão que manda devolver o Hospital ao seu legítimo dono a ABCG e decidiu despachar uma petição do Ministério Público, protocolada antes da Sentença que extinguiu a intervenção, restabelecendo a Junta Interventora, com substituição de dois nomes e a nomeação de uma outra figura que denominou de controlador.

Depois de quatro anos e meio de prejuízos imensuráveis ao patrimônio e subretudo a população que conta atualmente com apenas a metade dos leitos operacionais do Hospital, não conta mais com cirurgias eletivas, transplantes, etc, diz-se que o município de Campo Grande vai investir. Com que respaldo legal o Prefeito Municipal vai investir dinheiro público em uma Instituição Privada? O que faz o Ministério Público fiscal da lei e velador da ordem jurídica? O que vai fazer a Câmara Municipal a respeito da responsabilidade política do Prefeito?

Nenhum comentário:

Postar um comentário