terça-feira, 11 de agosto de 2009

AONDE A JUVENTUDE CRÍTICA?

Percebo que a juventude deixou de ser crítica em relação a sociedade e deixou-se dominar pelo pragmatismo da obtenção de proveitos imediatos: viver a vida como ela é.

Hoje (11/08/2009) leio no Jornal O Estado de Mato Grosso do Sul a entrevista exclusiva do Filósofo Renato Janine Ribeiro à Jornalista Carol Alencar, o que recomendo. Um primor de pensamento. Alguns exemplos:

"A sabedoria e experiência é uma virude que a geração atual abomina..." "A Estética da Superficialidade - A supervalorização e o Esquecimento da Juventude." "A superficialidade contemporânea ultrapassa todas as barreiras e mergulha nas ondas publicitárias. Hoje em dia, o jovem se entrega de corpo e alma a tudo que o consumo oferece e ela acaba acomandando às vias de fato, deixando de lado, o olhar crítico sobre assuntos que somariam com um conhecimento." "A sociedade globalizada se encontra sem precedentes entre o eixo do êxito físico e profissional."

Um comentário:

  1. O transe da juventude começou na década de 70 e está se prolongando até o dias de hoje... Recomendo a leitura do livro "Juventude em Transe".

    ResponderExcluir