terça-feira, 22 de setembro de 2009

CESAR MAIA CONCORDA COMIGO.

Em seu ex-Blog o político Cesar Maria escreve hoje:

"A DIFÍCIL SITUAÇÃO DO BRASIL AO RECEBER ZELAYA NA EMBAIXADA! EM QUE CONDIÇÃO?

1. O Brasil não tem um Embaixador em Honduras, mas um Encarregado de Negócios, menos experimentado e credenciado. A decisão sobre se o candidato a asilo diplomático merece ser acolhida, tem de ser imediata, sem consulta ao Itamaraty, nos termos do Tratado de Havana. O chefe da Missão diplomática é obrigado a decidir se o postulante está sendo objeto de perseguição política. Em caso afirmativo, terá de acolhê-lo. A alternativa seria entregá-lo às autoridades hondurenhas, o que é pelo menos desaconselhável.

2. Zelaya, além da ordem de prisão pelo STF por descumprimento da Constituição, tem vários processos por crimes comuns. Assim, o Governo hondurenho dispõe de todas as razões para negar a autorização para a partida de Zelaya, mantendo-o "preso" na embaixada brasileira.

3. Mas o Brasil tem um peso grande e pode provocar a concessão do salvo-conduto. Nesse caso, o Brasil terá que enviar um avião militar, com escolta, para recolhê-lo em Tegucigalpa. A batata quente está agora nas mãos do Brasil."

Nenhum comentário:

Postar um comentário