terça-feira, 1 de setembro de 2009

DATA VÊNIA, SENHOR PREFEITO

Tenho lido as últimas declarações do Senhor Prefeito Municipal de Campo Grande Nelsinho Trad, sobre a sua vontade manifesta de coligação entre PMDB e PT, atribuindo a isto, inclusive, a diminuição da estatura da cidade que administra e do partido a que eventualmente pertence, afirmando se tratar o Estado de Mato Grosso do Sul de uma “paróquia” que deve obedecer aos ditames de Brasília (leia-se Lula e a Cúpula congressual do PMDB).

Permita-me discordar de forma veemente. Pertencemos ao mesmo partido político, mas não partilhamos os mesmos ideais ou como diria o ditado popular, dormimos na mesma cama, mas não temos os mesmos sonhos.

Um partido político tem suas instâncias e deve se manifestar por seus órgãos adequados. Ninguém no Diretório Estadual do PMDB atribuiu ao Prefeito Nelsinho Trad a representação para falar em seu nome. Aliás, não participa ele sequer das reuniões mensais da Comissão Executiva a qual integro como Secretário Adjunto e presidente da Fundação Ulysses Guimarães.

Por outro lado a visão submissa aos desígnios de Brasília como instância inapelável é um equívoco. As bases do PMDB no Estado e em todo o país clamam por um Candidato próprio a Presidência da República. O pragmatismo não admite esta idéia? Bem, às favas o pragmatismo, porque política se faz também com bom senso e com ideais e com um pouco de utopia, sem o que vira essa coisa horrível praticada pelos “de Brasília” o que não é mais moralmente aceitável pela média da sociedade e nem tampouco pelos verdadeiros peemedebistas.

A discussão está latente dentro da Fundação Ulysses Guimarães Nacional com audiência de representações de todos os Estados. Deverá ser objeto de um Congresso Nacional do PMDB já anunciado pelo Presidente Michel Temer e pelo Presidente da FUG/nacional Deputado Eliseu Padilha.

Já não é somente as bases do PMDB e seus órgãos de estudo e de atuação fracionada como o PMDB-Mulher, a JPMDB e a própria Fundação Ulysses Guimarães que assim pensam. O Diretor da agência de pesquisas IBOP teve a iniciativa recente de alertar a alta Direção do PMDB para a oportunidade de lançamento de um Candidato a Presidência da República. O jogo político está empatado e é evidente o desgaste da pré-candidata do atual mandatário da nação. É de fato um desejo manifesto no PMDB não permanecer mais como caudatário ou mero coadjuvante de outras agremiações políticas.

Registro neste espaço a minha indignação pelo atropelo de quem não está legitimado a falar em nome do PMDB e faz declarações em desprestígio do partido e do Estado. Mato Grosso do Sul detém o mesmo nível de representação da maioria das demais Unidades Federativas. O PMDB/MS sempre foi respeitado em Brasília pela firmeza e clareza das decisões que apresenta. “Brasília”, por outro lado, é uma ficção que não suporta uma discussão minimamente articulada e nem os atores dessa pretensa coligação detém condições morais para sustentar um enfrentamento com as bases do PMDB.

Aqui no Estado a manutenção do comando do Governo Estadual é interesse de todos os peemedebistas. Para isto, no entanto, não se pode admitir uma conduta nefasta para a Democracia, de pretensão de hegemonia sobre todos os Partidos. A boa política para o povo resulta do embate de idéias e nunca do aliciamento de todas as correntes e partidos, o que leva o pleito a ser decidido antecipadamente tornando a vontade popular meramente homologatória.

Judas entregou a Jesus Cristo por trinta dinheiros. Não é possível que se permita a entrega do PMDB por um punhado de cargos e uma merreca de dinheiro de convênios. O PMDB tem história e tem quadros pensantes e uma maioria ética e partidária. Por isto mesmo o PMDB/MS precisa merecer o respeito daqueles que talvez não conheça direito essa história. Estaremos ao lado dos que querem construir um espaço de poder programático, com respeito à dignidade das pessoas e do voto e da elevação do bom nome do nosso Estado. Não somos meros paroquianos, somos cidadãos ao lado de todos os demais brasileiros e temos direitos iguais a todos os filiados de todo o país. Fala pelo PMDB/MS a sua Comissão Executiva e o seu Diretório Estadual.

Esacheu Cipriano Nascimento
Presidente da Fundação Ulysses Guimarães/MS
Secretário Adjunto da Comissão Executiva do Diretório Estadual.

Nenhum comentário:

Postar um comentário