domingo, 13 de setembro de 2009

"DE PERTO NINGUEM É NORMAL"

O título acima é de uma música do Caetano Veloso citada no texto brilante de J.R.Guzzo na última folha da Revista Veja 2130, onde trata da necessidade de homens públicos, especialmente os que pontificam os cargos presidenciais a se submeterem a sessões de análises que possam contribuir para melhorar os humores no desempenho dos respectivos cargos.
Para extravazar a minha soberba: acho que o Guzzo leu o meu texto de dias atráz aqui neste Blog quando me referi a questão da psicopatia dos políticos.
Bem, brincadeira à parte o certo é que o ilustre jornalista explica as razões do porque deviam os Presidentes e outros altos membros de Governo se valerem da assistência psiquiatra ou psicológica. Cita os casos comportamentais de George Bush, Nicolas Sazokozy, Hugo Chavez e outros para se deter em Lula com a seguinte consideração:
"Seria difícil encontrar, na vida pública brasileira, alguém tão convencido da sua própria superioridade; acha que cabe a ele ou a seu governo sem a menor dúvida, tudo o que existe ou pode existir de bom neste mundo, da descoberta do pré-sal à invenção do ovo frito. Como já observou o poeta Ferreira Gulart, é um dos grandes mistérios da nossa história saber como o Brasil conseguiu sobreviver sem Lula durante os primeiros 502 anos de sua existência."

Nenhum comentário:

Postar um comentário