sábado, 19 de setembro de 2009

REFORMA TRIBUTÁRIA

Os Prefeitos vão a Brasília novamente para reivindicar maior participação no bolo Tributário da União Federal. E os espertos de plantão aproveitarão para embalar, com promessas e algumas migalhas, a candidatura oficial a Presidenta da República.

Dia desses um Senador reclamou da omissão do Senado Federal em votar a sua agenda própria, especialmente, no que diz respeito a Reforma Tributária. A pirâmide tem de ser invertida. Ficar no município o que é essencial para os serviços locais (e não existir municípios sem capacidade tributária) e repartir com os Estados e União o necessário para os serviços públicos nesses níveis.

O problema é que o sujeito se elege Deputado ou Senador se comprometendo com o eleitor em votar a reforma tributária e depois de eleito, o magneto do Poder o atrai para a "base do Governo" e ele vota contra ou não vota pela Reforma. Não é mais possível continuar a pobreza em que se encontram os municípios brasileiros em um país com uma economia de tal magnitude.

Nenhum comentário:

Postar um comentário