segunda-feira, 2 de novembro de 2009

O CAPITAL CHAMADO FLORESTA AMAZÔNICA

O Administrador de Empresas Christopher Peter Bueno Netto, sugere solução para a exploração sustentável da Amazônia, com investimentos anuais equivalentes a 50% do PIB brasileiro, a ser obtido das nações desenvolvidas, durante dez anos, como contrapartida ao compromisso de preservação das Florestas amazônicas.

A cobrança pela manutenção da Floresta estaria vinculada a investimentos pelo Brasil em Educação e infraestrutura local. A educação seria dirigida para a formação do conhecimento que possibilitará a exploração da biodiversidade sem destruir o bioma amazônico, utilizando como referência, o que foi feito no país da América Central - Costa Rica, onde hoje, um hectare de área preservada vale cerca de 10 vezes o valor de um hectare desmatado.

Se junto com isto o Brasil premiar as mulheres comprovadamente abaixo da linha de pobreza para ingressar em um programa de controle de natalidade, pagando-lhes pro-rata, desde onze anos de idade, 1/8 do Salário mínimo, chegando a 1 salário mínimo aos 22 anos idade e descrecendo até os 33 anos a 1/8, teriamos nesse período eliminado o fator da crescente miserabilidade, elevando automaticamente essa massa de brasileiros para a classe média.

Paralelamente, segundo ele, deveria haver a implantação de uma política imigratória para receber apenas imigrantes com comprovada escolaridade em nível superior, mesmo que incompleto, a fim de não substituir os nossos pobres que deixarem de ser concebidos e rejetiados, pelos pobres de outros países. O Brasil não pode ser um destino de descarte de populações miseráveis de outras nações pobres, como aliás, já vem ocorrendo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário