sábado, 28 de novembro de 2009

VIDA PÚBLICA E VIDA DE PRESO POLÍTICO

César Benjamin que ajudou a fundar o PT e se manteve ligado ao partido até 1995, em artigo publicado na Folha de São Paulo (27/11/2009), se dedica sobretudo ao relato da convivência com os presos nos anos em que ficou encarcerado, na ditadura militar, por causa de suas posições políticas. Enfatiza que, apesar de ser muito jovem e de ter convivido com presos comuns, nunca sofreu nenhum tipo de abuso sexual. A ênfase é uma espécie de contraponto ao que vem a seguir, sobre Lula.

O autor narra um encontro que teria tido, em 1994, com Lula, então em campanha. Na ocasião o ex-líder sindical lhe teria feito perguntas sobre a prisão e revelado que não suportaria o isolamento - por não conseguir viver sem relações sexuais com mulheres.

Em seguida, Lula teria narrado a tentativa de violação sexual do companheiro de cela. O trecho do artigo de Benjamin é claro: "Para comprovar essa afirmação, passou a narrar com fluência como havia tentado subjugar outro preso nos 30 dias em que ficara detido. Chamava-o de ‘menino do MEP’, em referência a uma organização de esquerda que já deixou de existir. Ficara surpreso com a resistência do ‘menino’, que frustrara a investida com cotoveladas e socos." E prossegue: "Foi um dos momentos mais kafkianos que vivi. Enquanto ouvia a narrativa do nosso candidato, eu relembrava as vezes em que poderia ter sido, digamos assim, o ‘menino do MEP’ nas mãos de criminosos comuns considerados perigosos, condenados a penas longas".
Pessoas citadas como testemunhas da conversa negam que tenha tido essa dramaticidade e afirmam que a conversa teria tido um tom de piada, por parte de Lula, para impressionar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário