segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

AQUI COMO ACOLÁ, O PROBLEMA ÉTICO É SÉRIO.

Trechos do artigo de Joan Subirats, diretor do Instituto de Governo e Políticas Públicas da UAB. Jornal El País (22/12/2009). Falta uma liderança internacional a altura de comandar o processo de depuração da corrupção:

Começa a se tornar “lugar comum” falar da distância entre as instituições e os cidadãos ou a desconfiança generalizada das pessoas sobre a forma de proceder daqueles que nos governam e representam. São necessários mais mecanismos para controlar os políticos. Em um ano, dobrou o número de espanhóis que dizem que um dos principais problemas do país são os políticos. O gotejamento de escândalos que vinculam poder político e corrupção não ajudam a melhorar o sentimento negativo. Mas são escassas as propostas que vão para além de recomendações éticas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário