sábado, 16 de janeiro de 2010

HAITI, AÍ DE TI!

Perto do que ocorreu no Haiti, e não é de hoje, os problemas do Brasil, de suas favelas, de sua violência, diria, ganham insignificância.
Assisti ontém a entrevista do Comando Militar sobre a troca dos Soldados brasileiros que realizam o trabalho em nome da ONU naquele país. Refleti sobre a questão e cheguei a conclusão de que a estratégia não está correta. A não ser o efetivo acidentado, os outros deveriam permanecer no país por algum tempo, considerando que ali já estão há cerca de seis meses e conhecem melhor o terreno, enquanto o novo efetivo terá de começar do zero, a não ser pelos relatórios, que evidentemente, não terão tempo para ler, num quadro desolador como se encontra o país.
Por outro lado, mesmo chegando toneladas de alimentos e outros produtos, a grande maioria da população ainda não pode ter acesso a esses bens. Falta infraestrutura para chegar até todos. Ocorre que a fome e a sede não pode esperar. Entao a civilidade desaparece e surgem as ações instintivas mais inesperadas pela sobrevivência. Quantos não morreram pelo efeito do cataclisma poderão morrer nesse período em que estão sendo restabelecidas a infraestrutura mínima para chegar-se até os locais mais remotos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário