quarta-feira, 24 de março de 2010

COLÉGIO OSWALDO CRUZ

A imprensa tem me procurado para saber da concordância em a Prefeitura Municipal de Campo Grande fazer uso do prédio pertencente a Associação Beneficente de Campo Grande, mantenedora do Hospital Santa Casa, legado do Advogado Luiz Alexandre de Oliveira, em benefício desta associação.

Não há concordância. De igual forma que houve um procedimento de intervenção autoritária e desarrazoada do ponto de vista administrativo e jurídico, mais uma vez a Prefeitura usurpa para uso um prédio que precisa ser reataurado e cumprir a função que o seu legador deixou em favor da Santa Casa.

Lembro que não há qualquer responsabilidade pela situação de abandono do prédio por parte da Associação Beneficente, tanto que quando de sua entrega, na forma testamentária, em dezembro de 2008, a Diretoria tentou tomar posse e foi impedida pela força da ação direta da Prefeitura. O Processo de reintegração em favor, imagina, da Junta Interventora, ainda não foi julgado. A Diretoria da Associação, civilizadamente aguarda a decisão para então tomar as providências. Neste tempo todo o prédio ficou a cargo da Junta Interventora, a mesma que de forma desastrada administra o patrimonio do Hospital Santa Casa.

Agora a Prefeitura junta ao processo, somente agora, mais de ano depois, um documento em que a tal Junta Interventora cede para o uso da prefeitura, a título gratuito, pelo prazo de cinco anos o patrimonio que devia, por força de sua responsabilidade, apenas guarda-lo até a decisão judicial.

Vivemos um tempo obscuro em Campo Grande. A Justiça demora para decidir e os ousados apressam-se em usurpar. Lamentável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário