quinta-feira, 8 de abril de 2010

FILME FEITIÇO DO TEMPO E LULA

De Miriam Leitão:

No filme "Feitiço do tempo", o personagem principal, de Bill Murray, recomeça o mesmo dia como se já não o tivesse vivido, com a vantagem de que os outros não se lembram do que ele disse na véspera.

O presidente Lula deve pensar que tem esse benefício da amnésia alheia. O problema com Lula não é o que ele diz, mas combinar com o que ele disse ou fez no dia anterior.

Ele disse aos ministros que não se pode iniciar projetos novos, dois dias depois de ter lançado o PAC-2 com projetos para até o ano 2016. Ele fez piadas e brincadeiras pelas multas que recebeu da Justiça Eleitoral, por flagrantes de uso político da máquina. Dias depois, condenou o uso da máquina em propaganda, como se isso fosse atitudes de outros, jamais dele.

Desde que lançou o PAC-2 com uma enorme fanfarra, ele não perde oportunidade de alertar os novos e acidentais ministros que não lancem nenhum outro projeto, nenhum plano novo. "Nós não estamos em época de pensar em um novo programa, estamos na época de executar os programas que vêm andando", disse ele, 48 horas depois de ter lançado uma interminável lista de novos projetos, com quase todo o PAC-1 pendente.

Dias depois, voltou a dizer que não se pode iniciar nada agora, faltando nove meses. Então por que lançou planos que não irá executar? Confirmado, portanto, o entendimento geral de que nada daquilo era para ser levado a sério, era apenas uma peça de marketing político.

Certas declarações que ele faz nos levam a pensar que das duas uma: ou é ele que se esquece do que disse ou fez na véspera, ou pensa que esse é um país de desmemoriados, que dá a ele a enorme vantagem de reescrever diariamente o enredo da sua história.

(...)

(Fonte O Globo/http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2010/04/08/feitico-do-tempo-281965.asp

Nenhum comentário:

Postar um comentário