sexta-feira, 15 de outubro de 2010

SERRA PRESIDENTE DO BRASIL

O PMDB de Mato Grosso do Sul por 35 votos a 4 decidiu apoiar a candidatura de José Serra para Presidente da República. No primeiro turno a campanha de Dilma Roussef cometeu equívoco irreparável ao aportar - Candidata e Presidente Lula - em Campo Grande com um discurso virulento contra o PMDB local e seu Governador. A situação ficou irrecuperável. Aqui Serra ganhou já no primeiro turno.

Neste segundo turno com exceção do Prefeito Nelsinho Trad e do Presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, Vereador Paulo Siufi, acompanhados pelo vice-Prefeito Edil Albuquerque e do Deputado Federal Geraldo Resende, as demais Lideranças do Partido, incluindo toda o Diretório Estadual e o Governador do Estado André Puccinelli optaram por participarem da conquista de votos no intuito de aumentar a margem percentual em favor de José Serra.

2 comentários:

  1. A melhor estratégia para que qualquer candidato vença qualquer eleição seria sem sombra de dúvidas os seus antecedentes, ou seja, o seu passado. Normalmente e ao longo dos últimos cinquenta anos, o povo testemunha dispendiosas campanhas publicitárias de "N" governos, onde o que se gasta, às vezes supera o que seria suficiente para implantar uma rede de esgoto num bairro da periferia. Na minha opinião e fosse eu um candidato eleito, certamente não teria dúvidas em implantar a política do feijão com arroz. Isso, isso mesmo, ali de pé no chão conhecendo as pessoas e trocando idéias a respeito das principais prioridades. Eu sei da importância dos ricos na sociedade e também sei que eles conseguem caminhar com as próprias pernas. A minha parceria com os ricos seria no sentido de motivá-los a fazer com que a classe baixa galgasse o degrau para a classe média e, assim, sucessivamente. Por quê? Ora, porque dessa forma a sociedade aumentaria a capacidade de consumo, da produção, emprego e renda e, automaticamente, provocaria a melhoria na qualidade de vida de todos, isto é, desde o mais pobre ao mais rico dos brasileiros. A minha parceria com os mais ricos, não os deixariam menos ricos, mas quanto aos mais pobres, ah esses sim, ficariam menos pobres.

    ResponderExcluir