segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

PARTIDO E CANDIDATOS

Posso afirmar que os tempos são outros no PMDB. O Partido tem discutido internamente por seus orgãos de formação política e de direção a necessidade de se construir um ambiente onde as candidaturas a cargos eletivos passem necessariamente pelo comprometimento ao programa partidário. Candidaturas avulsas, sem vinculação ao programa peemedebista deixam de ter sentido. Não se quer mais o Partido do Candidato e sim o Candidato do Partido.

A questão da fidelidade partidária é outro tema que passa a fazer parte das análises para decisão de oferta de legenda aos candidatos. O PMDB passa a exigir o cumprimento da fidelidade partidária. Uma vez escolhido o candidato, merecerá este o apoio de todos os peemedebistas. Aos possíveis infiéis serão aplicadas as penas previstas no Código de Ética partidário.

A fidelidade valerá para candidatos, filiados e também para os eleitos a cargos proporcionais e majoritários que terão de cumprir o programa e manter a convivência partidária.

Nenhum comentário:

Postar um comentário