quinta-feira, 24 de março de 2011

OS NÚMEROS DA ECONOMIA BRASILEIRA E OS ARTIFÍCIOS ESTATÍSTICOS!

Fonte Folha de São Paulo de 23/3/2011

> Entre o quarto trimestre de 2005 e seu homólogo de 2010, o PIB cresceu à média de 4,4% ao ano, a formação bruta de capital, de 9,4%, com uma taxa de inflação de 4,7%. Nos três anos imediatamente antes da crise (segundo trimestre de 2005 a segundo trimestre de 2008), o PIB cresceu a 5% ao ano, a formação bruta de capital foi de 12,7% e a inflação foi de 4,4%. Nos dois anos da crise (terceiro trimestre de 2008 a terceiro trimestre de 2010), o PIB cresceu à taxa de 2,4%, a formação bruta de capital, a 2,5%, e a inflação foi de 4,5%.

> As fantásticas taxas do PIB de 9,3% e 9,2% registradas no primeiro e segundo trimestres de 2010 e a taxa anual de 7,5% são artifícios estatísticos. O PIB só voltou ao nível anterior à crise no quarto trimestre de 2009. Em 2010, o PIB cresceu 5%, a formação bruta de capital, 12,2%, e a inflação, 5,9%. O fato, porém, é que a expectativa de inflação deteriorou-se e a taxa de inflação distanciou-se da meta (4,5%) por motivos não muito claros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário