segunda-feira, 29 de agosto de 2011

RONDONIA E ACRE

Estive visitando Rondônia (Porto Velho) e Acre (Rio Branco e Cruzeiro do Sul). São duas realidades distintas. A percepção que tive sobre Rondônia é a de um Estado progressista, com uma economia forte na área rural e sob intensa industrialização da matéria prima local. Rondonia caminhar por si. Sao mais de 80 Torres residenciais sendo construídas ao mesmo tempo.

O Estado do Acre por outro lado, continua parado no tempo. Praticantes de uma economia de subsistência, por impedimentos legais de utilização de suas terras, também a ausência de políticas viáveis de utilização dos bens da floresta e dos rios, a população é empobrecida e sem perspectivas de qualquer progresso. Uma minoria aparentada se apropriou do Poder e das riquezas que por ali circulam.

No Brasil o Ministério da Integração Nacional, de fato não integra. O Ministério do Planejamento, de fato não planeja, e os demais ministérios e tem ministérios para tudo, não são capazes de pensar e fomentar o desenvolvimento fora da obviedade do que se conhece por desenvolvimento urbano e do agronegócio.

Ha um Brasil rico em biodiversidade nas florestas, minerais e outros esperando por um Governo eficiente e que seja capaz de capacitar as pessoas, fomentar financeiramente e organizar os diferentes setores produtivos do país.


Nenhum comentário:

Postar um comentário