domingo, 19 de fevereiro de 2012

FICHA LIMPA E VOTO LIMPO

Com a decisao do Supremo Tribunal Federal da qual não mais cabe recurso algum, pessoas condenadas por colegiados de Tribunais do Poder Judiciário ou mesmo por colegiados de classe (OAB - CRC - CRECI - CREA, etc) não terão deferidos os registros de candidaturas a partir das eleições de 2012.


O abuso do Poder econômico e político nas eleições, ainda persiste, por falta de adequada atuação dos órgãos encarregados da fiscalização - Justiça Eleitoral e Ministério Público - a despeito de lei que introduziu o dispositivo do artigo 41-A da Lei 9504 que já dispõe: Ressalvado o disposto no art. 26 e seus incisos, constitui captação de sufrágio, vedada por esta Lei, o candidato doar, oferecer, prometer, ou entregar, ao eleitor, com o fim de obter-lhe o voto, bem ou vantagem pessoal de qualquer natureza, inclusive emprego ou função pública, desde o registro da candidatura até o dia da eleição, inclusive, sob pena de multa de mil a cinqüenta mil Ufir, e cassação do registro ou do diploma...


Ser candidato "chapa branca" é meio caminho andado para se eleger. Por outro lado, ser candidato de empreiteiras e usar dinheiro desviado via emendas parlamentares é outra prática usual. Não é por acaso que 70% dos eleitos para o atual Congresso Nacional foram financiados por empreiteiras ou apoiado por Governos locais, estaduais ou municipais.


Agora é a vez do voto limpo. Sem Fichas Sujas na política, caberá ao eleitor se conscientizar de que não pode e nao deve vender seu voto mesmo para os Fichas Limpas. Se isto não ocorrer, em vão terão sidos os esforços para tentar moralizar a política brasileira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário