segunda-feira, 24 de junho de 2013

AINDA, O POR QUE DOS PROTESTOS?

Fonte: ex-Blog do César Maia



O governo federal – desde Lula- entendeu como ‘paz social’ cooptar os movimentos sociais (sindicatos, associações, UNE, ONGs e até intelectuais) com generosos –digamos- subsídios. O governo federal resolveu comprar partidos e políticos ideologicamente antípodas e transformar o Congresso num departamento do executivo ao qual chamou de base aliada. Apoiou e contratou um partido novo (PSD) para minimizar a oposição. Mensalões se espalharam. Externalidade de riqueza de políticos (Autoridades e Empreiteiros com guardanapos na cabeça em restaurante chic de Paris), idem. Os respiradouros institucionais de opinião pública foram obstruídos. Era outro sinal.

A onda de desqualificação do setor público e exaltação do setor privado como cogestor dos governos, com consultores substituindo governantes, privatizações, terceirizações, construíram um ambiente autoritário em nome da técnica e da modernidade, reprimindo as manifestações das corporações de servidores. Era outro sinal.

A ideia que o povo era o problema e que os governos deveriam reprimir hábitos e substituir a prevenção pela repressão – apelidando de choques de tudo-, da urina à exponenciação dos “pardais” de trânsito, foi criando uma sensação de sufoco. Era outro sinal.

O uso e abuso da publicidade pelos governos com gastos bilionários foram gerando a certeza que se tratava tudo de uma fraude, tentando iludir as pessoas. O que se mostrava não correspondia à realidade. Era outro sinal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário